quarta-feira, 25 de abril de 2007

Repensar a Vida

Mais um dia de trabalho!
Apesar de haver ainda muita gente a dormir neste feriado de 25 de Abril, eu já me levantei e fui para o trabalho...
Dia enfadonho, negro e molhado, mas apesar disso senti-me bem. Sim, especialmente depois de me ter deitado assim que xeguei a casa e ter dormido como há muito não dormia: enrolado no cobertor e numa posição que compromete qualquer circulação sanguínea! lol =x

Levantei-me e fui tomar um café aqui no bairro, despenteado devido à almofada, mas a precisar de um tempo longe de casa e a ouvir o tipico ruido de café ao final da tarde. Acendi o meu cigarro e comecei a bebericar o meu café (quente por sinal porque queimei logo a ponta da língua) e fiquei mais desperto. Nesse momento lembrei-me do que me tinha acontecido à 4 meses atrás, e fiquei com um sentimento misto de amor, ódio, e saudades daquilo que não posso ter mais e também não quero ter. Lembrei-me também que tinha de deixar o tabaco... faz mal à minha saúde e dos outros, tá a trazer más recordações e a minha Vida agora mudou e afinal de contas que raio de profissional de saúde sou eu para fumar e dizer aos outros para pararem de fumar?.

"Acorda para a Vida!" pensei eu oferecendo uma estalada psicológica a mim próprio! Últimamente tenho tido mais tempo para pensar em tudo o que fiz no último ano e voltar a fazer os mesmos erros não é certamente uma cousa própria de uma pessoa inteligente e sensata como eu penso que sou... Bem, a modéstia incita-me a não ter muito destes atributos positivos, mas axo que mereço algum reconhecimento nem que seja da minha parte.

"Pois..." reflecti, "andar assim isolado também não vou a lado nenhum...!". Eu que outrora fui tão social e transparente, agora fecho-me em copas e fujo de qualquer ser humano que possa perguntar "o que se passa".

Bahhhh! A continuar assim fico doido! Tá um dia tão bonito lá fora agora, apesar de mais fresco... Apaguei o cigarro e meti-me a caminho do carro. O caminho da Felicidade tou a percorrer desde que me lembro de ser pessoa. Claro que há um tropeção ou outro mas tenho de continuar!

Tenho de pensar mais na Vida... Faz bem! Carpe Diem!

Bem hajam.

Ensaio sobre o Ódio

Muitas vezes, ao longo da minha existência
Tenho dado comigo a repudiar o ódio.
Faz parte da minha essência,
Não guardar rancor ou pormenor sórdido.

Muitas vezes vejo em mim o reflexo
De quem eu já fui... bati no fundo!
Dirijo pela primeira vez raiva sem nexo
E todo o ódio deste Mundo.

Mas eu não sou assim!...
Não consigo odiar!
Pudera eu dizer agora "Sim!",
"Vou continuar a Amar!"

É facil dizer "Odeio-te!", assim parece...
Não é qualquer um que o merece
Mas tenho de voltar a ser o que sempre fui
Incapaz de odiar, e o ódio que sentir
Transformar em Amor!

E ao fim de mais um capítulo da minha Vida
Me apercebo: "Agora eu vejo!";
"Posso sofrer muito, mas pago de volta com um beijo!"
Axo que «aquele» que comigo frequentemente lida
Reconhece o Homem que fui sempre,
Um simples que apenas reconhece o que sente.

Aqui a mensagem deixo,
Mais do que daquilo que me queixo:
Odiar não vale o esforço de ninguém.
Reconheçam antes o Amor que qualquer um tem!

Bem hajam!

Beijos! =) ***

terça-feira, 24 de abril de 2007

Memórias

Amanha sei...
Destinado está...
Mais velho serei!
Mas,
Com as memórias d'hoje lá.

Ingrato serei amanha?
Arrependido do k hoj fiz?
Triste acordarei de manhã?
Não!... Foi tudo o que quis!

Pudera eu, comigo levar
Os que me apoiam neste dia,
Especialmente aqueles que eu amar!
Nao como apenas recordações...
Indeléveis presenças no tempo...
Sim como profundas "fundações"!
Porque a Vida que ai vem
É como rajada de vento
(daquelas que levam noventa em cem!)

E aki fico velho mais um minuto,
Um pouco mais só com Memórias...
Sim, tenho saudades de quando era puto
Mas isso já são outras Estórias.

Perdidos e Achados

Resolvi finalmente dedicar-me à escrita...
Depois de semanas atribuladas e muito stressantes, achei que guardar tudo comigo não é nada saudável e que sendo eu um livro aberto deveria ao menos mostrar-me às pessoas.

São 2:33...
Talvez não deveria começar a escrever...
A noite há muito já se fez
E amanha profissional tenho de voltar a ser.

Mas o meu testemunho é incentivador,
Muito sobre a Vida vou falar.
É especialmente dedicado àqueles que sentem dor,
Mágoa, solidão, ou um simples pesar.

Não pretendo ser melancólico
Ou talvez queixinhas...
A Vida não é só feita de rimas
E palavras bonitas ou rebuscadas

Mas o que realmente se passa comigo?
Humores trocados?
Paragens cerebrais a que já nem ligo?
Penso muitas vezes no que me causa isto...
Se é a vivência de tempos passados,
Olhares ignorados?
Chega de lirismo! A VIDA NÃO É PERFEITA!!! está antes muito longe disso!

A Vida preencheu-me de muitas pessoas. Umas vão, outras ficam, outras desiludem, outras enaltecem o meu espírito humano e provocam um sincero sorriso e um humilde "obrigado" da minha parte. A verdade é que cheguei à conclusão de que quantas mais pessoas conhecemos e julgamos nossas amigas, maior é a probabilidade de sairmos magoados com algumas...

O resultado é variável, é certo. Mas o desígnio deste tipo de vivência encontra-se mais profundo na nossa condição de seres humanos. Quero dizer com isto que há pessoas que nos marcam positiva e negativamente, e as que marcam mesmo levam a nossa Vida a outro rumo:
A título de exemplo, alguém que nos magoa tanto que julgamos que a nossa vida acabou. D repente aparece outra pessoa na nossa vida para preencher o que nos faltou antes, seja atenção, carinho, respeito, amor, amizade, reconhecimento, etc...

A nossa visão do mundo muda drasticamente... pensamos que tudo acabou! "O que é isto? não tava à espera! Mereço?"

A Vida só acaba quando dermos o nosso último suspiro... cruelmente pensamos muito em simplesmente desistir de tudo enquanto há muitas pessoas que dariam tudo para ter o contrário: Não desistir e lutar por uma Vida.
Há sempre uma saida, uma mensagem escondida mas acessivel, um amigo que nos dá a mão, um desconhecido que se quer dar a conhecer, uma esperança ténue de que tudo vai correr bem.

Tudo não passou de um tropeção na calçada... Ergui-me, olhei, acreditei, e voltei a andar para a frente.

Isto é tão verdadeiro para mim como para todos nós. As feridas continuam lá, mas só servem para nos rirmos delas mais tarde e pensarmos "do que me safei!"

Vai já demasiado tempo para me preocupar com "Perdidos", vou-me dedicar aos que em mim continuam presentes e aos mais recentes "Achados".

A Vida é BELA!

Obrigado e desculpem demasiada encriptação!

Bem hajam. :)