quinta-feira, 28 de junho de 2007

Insónia...

De novo esta condição!...
Vejo as horas a passar,
Tempo de sono perdido,
Com crescente preocupação
E sem sono nem posso sonhar...

A noite é eternamente minha!
Companheira de conversa...
Só a Lua se avisinha
Com algumas nuvens imersa.

Serão vocês fantasmas da minha noite?
Gozam comigo e com a minha situação!
Só quero dormir... mais nada
Só quero pensar em quem me deu a mão...
Me a colocou junto ao coração...
E sonhar com isso!... mais nada

Quero o meu sono de volta...
Na minha noite, no meu descanso,
Com a minha paz interior,
Enfim... a felicidade alcanço!

E o sonho retorna,
Em sono manso...

Bem hajam! Espero que não com os mesmas insónias que eu... :) * * * *

terça-feira, 26 de junho de 2007

Tema para divagar

Outra noite se fez ficar.
Outra noite sem ninguém.
Outra noite de puro ócio.
Mais uma de desdém
Por aquilo que me faz divagar.

Importância não dou,
Nem mesmo ao vazio da noite.
Não há sorriso dócil
E o vento frio na face é açoite.
Incrível! Ao espelho nem mesmo eu sou...

Divago agora com a Lua
Como fundo. Enfim...
Lá ela me há-de compreender!
Impávida, serena, olha pra mim.
Numa rotina nocturna bela, só sua

Bem hajam! :) * * * *

domingo, 24 de junho de 2007

Sentindo-me Bem?!

Já me perguntei
O que vai ser de mim!
Já gostei de ser mais preso, mais dedicado.
Agora vivo a liberdade de fazer o que quero
Sem ligações a pré-formatações,
Com liberdade de construir relações e arte sem nexo
Sem obrigações a rimas forçadas ou modelos fixos!
Como estes versos malditos!!!
Gritos do que eu sinto, gosto, faço ou deixo de fazer!

Gosto de me sentar no sofá e relaxar,
Também de ouvir a minha música ou toca-la.
Adoro sentir-me bem! Fazer a quem quiser exactamente o mesmo!

É egoismo puro! É altruismo e rebeldia ao mesmo tempo!
O Mundo é meu, tal como este ar que respiro!
Tal como os sentimentos que me assombram! Só meus e de mais ninguém!
A partilha existe mas só num mundo onde eu dito as regras!
Onde só entra quem eu quero e quem não se importa!

Cuspo no chão de quem me torce o nariz,
De quem menospreza o que eu dou valor!
Abomino quem se sente superior a tudo e todos,
Sim! Esses que olham para a superioridade dos outros
E não têm a humildade de admitir que há outra pessoa no outro lado
Alguém por quem se deve ter respeito!

Não tou à espera de ser idolatrado, nem tanto ser maltratado
Não quero que se sintam ofendidos com o que eu escrevo,
Não quero que se finjam odiados ou menosprezados com os meus devaneios na minha mente.
Isto não passam de palavras que mal exprimem o que sinto, vejo ou ouço.
A Vida é feita de desentendimentos e desvios de interpretação.
A minha Liberdade assenta no que eu escrevo e na interpretação que eu dou e deixo os outros terem.

No fundo, Sinto-me bem! Talvez com demasiada vivência. Talvez não...
Sem arrepender-me, sem menosprezar o que digo...
Tudo importa, até os estalos que nos dão de vez em quando.
Tou calejado mas...
Mas não me resta responder com sorriso de volta!
Sinto-me bem! É o que me vale.
Obrigado.

Bem hajam! :) * * * *

terça-feira, 19 de junho de 2007

Prisão!

O que é a Prisão?

Prisão é a inevitabilidade do tempo,
Uma certeza candenciada,
Umas vezes a passo lento
Quando nos apetece ser ultrapassada.
Outras vezes rápida
Na inefabilidade dos bons momentos...

Prisão é o sonho de voar
Mais alto que os sonhos!
Tocar a prata e o ouro do luar!
Então sonhamos presos ao chão
Com medo de futuros medonhos
E incapazes de ouvir um "Não"

Prisão é fingir que os sentimentos,
Não são mais que tormentos,
Pensando que nos prendem
Quando de facto nos libertam,
Nos alia aos que também deveras sentem,
Aliança dos que nunca desertam!

Prisão é olhar para o presente
E negar que é falso o que vemos,
Que é improvável o futuro que se sente,
Que é preferível a segurança que hoje temos...

Prisão é um poeta gritar
No meio de palavras interpretáveis!
Gritos encriptados de quem não quer odiar,
Amar, chorar, sonhar, respirar...
Acreditar...

Apenas viver,
Sem prisões,
Felizmente Ser
Livre sem senões!

Bem hajam! * * * *

domingo, 17 de junho de 2007

Chuva

Não consigo dormir...
Levantei-me da cama,
Fui para a janela sentir
O fresco da noite que me chama,
A chuva que no vidro bate...
Para que talvez esta insónia mate.

Não vi mais do que árvores agitadas,
Silêncio em vão interrompido
Pelas gotas de água em folhas molhadas
Numa noite de sono não vivido...

Eu, que até a noite amo!
Aprecio a chuva e o vento!
...Adoro este momento!
De ficar à janela entreaberta
E sorrir à adversidade como cousa certa!

No entanto tenho de dormir...
Da falta de descanso não posso rir...
Fecho a janela e volto ao leito,
Aconchego-me nos lençois a meu jeito,
E mais um esforço faço
Neste meu mundo, neste meu espaço.

"Boa noite..." a mim mesmo desejo.

quinta-feira, 14 de junho de 2007

AAAAAAHhhhhh!!!

Esta é a primeira vez em que uso uma onomatopeia como título de um post. Inédito...
É muito simples o porquê:

Tou xateado!...
O dia até começou mal, já devia tar à espera! Ora eu que adoro chuva (é mesmo, não tou a ser irónico), senti na pele a fúria da Natureza ao sair de casa, do autocarro, do metro e como se não cehgasse, nos derradeiros metros a pé até ao trabalho. Resultado? Fiquei mesmo todo molhado, imundo, e com vergonha por ser o único que não levou chapéu de chuva.

Mas pensam que é tudo? Não! Tive de começar a trabalhar no duro mais cedo do que o estipulado para ajudar uma colega. Não me sinto arrependido, pois voltaria a fazer o mesmo, mas o problema foi depois: devido ao volume de trabalho duplicado, fiquei mais preocupado e nervoso e cometi um erro estúpido para responder às necessidades do serviço para o qual trabalho. Resultado? Acidente de trabalho no meu dedo indicador direito e que ainda me doi neste momento ao escrever a caneta e papel.

Caneta e Papel?! Ainda não acabou!!! Perguntar-se-ão vocês ao reparar que isto tá publicado no meu blog, o qual faz parte da internet, um mundo virtual! Passo a explicar:

Depois do longo dia de trabalho, pedi a companhia a uma amiga minha até ao metro. Tudo bem! Uma conversa interessante, estimulante, e inocente própria de grandes amigos... Mas eis que sou acusado (na brincadeira ou não...) de no futuro eu vir a ficar uma pessoa bem diferente, mudada e com atitudes que eu simplesmente detesto, abomino, odeio e desprezo!!! Isto porque tenho uma grande sonho e que a probabilidade de o atingir significará que me irei tornar num profissional bastante snob e arrogante! Tal como se pudesse fazer parte de muitos profissionais de saúde que pensam que são os melhores!

Foi a facada!!! Frustração ao limite!!! Senti-me tão ultrajado que até fikei boquiaberto com tais declarações. Não tive outra escolha senão deixar a minha amiga ir embora no respectivo autocarro e depois meter-me no metro onde tou a escrever estas linhas... Não consegui conter!

Sou incapaz de mudar assim tanto e para um resultado tão repugnante! Recuso-me a tal acontecimento! Não faz parte da minha personalidade! Eu gosto de marcar a diferença, de tal maneira que alguém que me queira colocar uma etiqueta, terá de atribuir outras mais para me definir. E mais que marcar a diferença para não ser confundido com os outros, é ser eu proprio e ser feliz com isso. Não é por um dia poder vir a pertencer a um grupo de pessoas bastante diversificada que me vou tornar igual a elas.

Orientem-se! E Bem Hajam! =) * * * *

sábado, 9 de junho de 2007

Anatomia de um Beijo

O que é um Beijo realmente?
O que é isso que vezes tantas
Pensamos que a gente sente?

Muitos de nós gostariam de conhecer
O Beijo húmido e quente,
Suave no desenvolver,
Gentil na carícia exigente!

Lábios com lábios,
Cegos na essência,
São cúmplices, são sábios
Reconhecem a pura carência.
Conhecem o outro plo tacto...
E por esta entrega na confiança
Descansam os incautos
E afligem os seguros.

"Beijo" é aquele que nos deixa suspensos,
Leves, agitados e calmos ao mesmo tempo.
Queremos repetir, com a ânsia de mil alentos!
Sempre na procura de mais profundos sentimentos...

Bem hajam! =) * * * *

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Sonatas...

A minha mão escorrega
Pela madeira lacada de preto,
Os dedos com fé cega
Sentem o que a mente lhes manda.

Sinto o cheiro das folhas pautadas:
Velhas, usadas, dobradas...
Chamam pela minha interpretação
ao ritmo do meu coração!

Já não tocava há algum tempo
E não é por isso que toco mais lento,
Mas sim plo sentimento
Que vai longe na memória,
Paz de espírito de uma dor
Da qual já se faz história.

Com esta sonata lenta,
Relembrei a pertença das teclas:
Preto e branco, uma alma que esquenta!
Um ritmo audaz, um coração que se desfaz...
Uma terna familiaridade
De um tom, de uma nota, de uma melodia
Perdida e reencontrada em cumplicidade.

Bem hajam... =) * * * *

domingo, 3 de junho de 2007

Crossroads

Bem, a Vida tem destas cousas... Pensamos que um dia até está tudo estável e predizível, mas heis que nos aparece à frente uma panóplia de escolhas, um cruzamento sem tabuletas e apenas com a distância para o destino que desconhecemos.

Deparei-me com este cenário há cerca de uma semana atrás, com nem mais nem menos do que 4 escolhas! Umas mais fáceis e outras mais difíceis...:
--> Ficar no actual local de trabalho;
--> Ir para hospital de renome com melhor salário e com factor "C";
--> Agarrar a oportunidade de subir na carreira académica na Holanda mas a sobreviver de bolsas de investigação;
--> Ou subir na Vida profissional com salário invejável a todos os níveis num local de eleição como é Londres.

Tirando a primeira hipótese, qualquer uma das restantes é muito apelativa (se pudesse tinha isto tudo mas tenho de estabelecer prioridades, uma capacidade que tenho andado a desenvolver...). Portanto Holanda parece-me irreal dado as dificuldades e futuro eneoado que poderia ter a nível da lingua, sustento, e objectivos a atinjir (a investigação tem os seus riscos, portanto fica por agora de parte). Londres parece-me muito bem! Ganho muitíssimo bem, tou À vontadíssima com o inglês, mas tenho de ultrapassar alguns problemas burocráticos que levam o seu tempo e que podem culminar na perda do aviao da brithish airways... enfim. O hospital de renome fica como plano C a todos os outros se falharem, uma vez k detesto o factor "C" pois eu gosto de mostrar o que valho!... O Hospital actual de trabalho tem alguns senãos apesar de agora tar bem melhor profissionalmente por ganho de respeito e valor (o salário continua na mesma m*rda).

Mas tenho de fazer uma escolha!!! =( Help?...
Se calhar fico-me plo local actual de trabalho mais um tempinho e depois bazo pra Londres, não?
Aceitam-se sugestões!
...

Bem Hajam! =) * * * *