quarta-feira, 18 de julho de 2007

Não Procures, deixa-te encontrar...

Um dia procuras o que mais queres
Ou pensas que te é destinado.
Outro dia descobres que perderes
O que pensavas que querias é triste fado…

Desilusão atrás de desilusão,
De todas as cousas que se calhar
Não passam de sensação,
Sem sentido… A sensação de falhar…

Voltar a abrir os olhos, difícil é.
Mas que remédio! É na fé
De voltar a encontrar
Que tira a razão do procurar!
Sentir que cresce a ansiedade,
Tira a força da felicidade
Que nos aguarda pacientemente…

De que vale a pena procurar um beijo
Ou uma carícia há muito desejada?
Encontrar sabe muito melhor!
“Na espera de encontrar, eu vejo
A pessoa verdadeiramente amada,
E logo sentirei o beijo de cor!”

Um dia pergunta-te se é verdade
Aquilo que procuravas na realidade,
Quando com o espírito incauto encontrares
Por mero acaso numa troca de olhares,

Basta um encontrão!
Sentimentos dantes ignorados,
Desejos negados mas depois desejados!
E quando tu dizias “não!”,
Desdenhavas em vão!

Não negues palavras que possas engolir
Se um dia com elas pode te apetecer fugir.
Também não procures nem negues o verbo Amar…
Encontra-te antes e deixa-te encontrar!

Bem hajam! =) * * * *

Sem comentários: