segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Grito!

A plenos pulmões
Eu grito a minha insatisfação,
Eu choro a minh'alma aos leões
Que me rasgam o coração!...
Grito a minha desilusão,
Agrilhoada ao meu pensamento
Perdido neste momento
De busca da sensação...

Sinto o frio que me consome
Em memórias bem vivas
De histórias perdidas
De quando tinha fome
De viver em felicidade,
Renegando a dura verdade
Que o fogo permitiu!
...O Amor que se sumiu,
Que o tempo cruelmente devora!

Grito de raiva acumulada!
Grito à felicidade negada!
Bebo como embriegado
A vivência do passado!!!
Grito ao presente
Esperando o futuro eminente!

Grito à rima ocultando
Este vergonhoso pranto...

Grito! Grito!!!
Grito ao ódio que não quero!
Torna-me monstro no desespero
De ser certamente feliz!...

1 comentário:

In disse...

"Saudação a todos quantos querem ser felizes:
Saúde e estupidez!"... Álvaro de Campos