segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Conto de Fadas


A bela Borboleta encontra refúgio
Na vistosa Orquídea negra,
Cujo jocoso e livre subterfúgio
Imagina a felicidade reinventada.
Tornou-se fortaleza de sentimentos
Impedindo a borboleta de voar
Em contos de fadas, sem verbo amar,
Sem verdade merecida de verdadeiros alentos...

Jaz aqui este conto de fadas
Enterrado em palavras ignoradas!
Sente-se o frio da felicidade cínica,
Uma verdadeira alma anímica
Desprovida de emoções,
Entretem de alguns corações...

Tira essa máscara de bela flor!
Mostra quem tu és com dor
Expiando teus pecados
Sem medo de enfrentares teus fados!
... Deixa essa abstracta borboleta
Voar em doce felicidade certa!

1 comentário:

Inês disse...

... Sem palavras...
***beijos***