quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Hipnose


Bem queria eu, um dia talvez...
Ou melhor, daqui a um, dois ou três,
Experimentar uma vivência
Diferente da tradicional ciência...

Dizem ser algo que alcança o inconsciente,
Algo que encontra o que em nós está dormente,
Esquecido, recalcado, escondido
Do nosso consciente iludido
Com a realidade que no presente criamos.

Pergunta-me onde estamos!...
Não... Insisto! Pergunta-me o que quero
Agora! Juro que não o altero,
Sob pena de infidelizar a minha personalidade!

Qual personalidade? Sugeres Hipnose?
Isso come-se? Bebe-se? É uma espécie de pose???
AHhh, é uma "instrospecção assistida"!
Vais ver o meu subconsciente e rir-te divertida!

Vai ser do género em que regrido a tempos de infância
E recordo o medo daquela professora de tamanha arrogância?
Vai ser do género em que revivo uma dor tão imensa,
Ou uma felicidade tão inefável e intensa?

Vai directa ao assunto!
Explica-me lá o que me queres fazer...
Não é nada do outro mundo pois não?!
Receio não ter coragem para me deixar ler
Por alguém, por ti...

Sei lá... Eu tenho muito de bom,
Algumas de mau cá dentro também...
Receio ser diferente dentro de mim...
Receio estar iludido na minha maneira de ser...
(Até nem rimou... ve lá o stress!...)

Trata-me bem.
Confidencia-me o que eu disse
Perdoa-me a vontade de depois te agradecer,
...Já sabes que é a minha maneira de ser!

Venha a Hipnose!!!
Não há de ser mais
Do que ansiolíticos em "pseudo-dose"!
... Mas pára quando axares que é demais
O que ouves sem o consciente a mandar calar!

Nem imagino a desarrumação cá pra dentro,
Mas deve ser muita e com direito a dormir no relento,
Como um castigo à minha mente má...
...Como se enviasse um "ré" para o lugar do "lá"!
Castigo supremo!!! =)

Venha a hipnose
Mas depois não a use como trunfo!
Não quero ninguém que me goze!!!

Sem comentários: