quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Onde dormes?


Onde dormes tu Musa minha?
Onde é o teu leito de suave tecido
Com o teu perfume nunca por mim esquecido?...
É o firmamento estrelado
Teu lençol de noite de verão?
É o teu suspiro encontrado
Nas palavras que eu
Escuto na minha imaginação?

Imaginação... Estórias falaciosas
Da minha criatividade
Inspirada pela tua verdade,
Musa adormecida e tão de mim ciosa...
Sinto-me dormente
No teu doce sussurro de brisa do mar,
Mesmo ao meu lado tão levemente...
Acorda-me deste entorpecimento!
Sugere-me o verbo sublime: "Amar"!
Só por um momento...
Só para me relembrar...

Onde dormes tu Musa escondida?
Onde estás para te poder reencontrar?
Não és um conceito ou abstração perdida,
É génese da minha Arte de encantar
Quem quer sentir o sentimento,
Amar o Amor,
Sofrer o sofrimento,
Abraçar este ardor
De a todos mostrar
A razão que me dás para acordar!

Onde dormes tu?
Seja num palácio, seja no relento,
Seja comigo na minha mente...
Guia a minha mão neste momento,
Dá-me o dom da escrita fluente!

Onde dormes tu...?
Boa Noite.

Sem comentários: