terça-feira, 1 de maio de 2007

Ajuda

Hoje foi mais um dia de trabalho...
Daqui a nada dou em maluco... em 15 dias tenho um dia de descanso... nem devia tar a descarregar agora o que assimilei do dia de hoje porque daqui a poucas horas tou a trabalhar de novo...!!!
O que me vale é que daqui a 15 dias tou de férias!!! =D Menos mal.

A minha experiência de hoje foi muito reconfortante e fez-me pensar realmente no papel de qualquer um de nós que tem a capacidade de dar a mão a quem precisa. Fez-me pensar na beleza do ser humano e a humildade do mesmo quando agradece.
Estava eu a fumar o meu cigarro (sim... tenho de largar o vício) à porta das urgências e vi um carro chegar com bastante celeridade. Vi uma senhora sair do carro e abrir a porta do passageiro para tirar de lá a Mãe julgo eu. Tudo bem tirando o ar de aflição e sofrimento das senhoras, mas dava para notar quem ia às urgências: a mais idosa, a mãe.
Vinham a comentar se seria melhor trazer uma cadeira de rodas. A "mãe" mal podia andar mas negava que fosse necessária uma cadeira de rodas. Como é óbvio ofereci a minha ajuda e educadamente foi negada.
"OK" pensei eu. Voltei para dentro depois de apagar o cigarro e indiquei o balcão das urgências. Mas sempre tive a mania de olhar para trás... Olhei e vi a senhora em dificuldades depois de ter sido deixada à espera de ser atendida. Lá fui eu em passo acelerado oferecer de novo uma cadeira de rodas pois não haviam cadeiras.

"Obrigada!" ouvi eu! Esboçei um sorriso e respondi "que não é mais do que a minha obrigação". Mas entretanto a condutora meio atrapalhada foi arrumar o carro e ofereci-me para tomar conta da "Mãe".

"Obrigada menino! Sabe... senti-me mal e reparei que a costura rebentou e ando aqui a escorrer sangue! Tive de vir cá... mas a menina enfermeira já me fez o penso em casa." Disse a senhora meio a tremelicar.
"Foi o melhor que fez! Não se preocupe que vai ser atendida num instante!" disse eu a fazer sinal para uma enfermeira que conheço para acelerar as cousas.
"É hora de almoço não é menino?"
"É sim mas já devem tar aí a vir não tarda. Quer que lhe traga alguma cousa entretanto? Não se preocupe que faço-lhe companhia. Um copo de água talvez?" disse eu ao qual a senhora respondeu positivamente com a cabeça.

Lá fui na minha nova demanda! =)
Trouxe o copo de água natural, a qual a senhora sorveu com algum reconforto.
"Sente-se melhor? Não tá muito fria para si espero..." perguntei.
"Oh sim menino. Tá óptima! Muito obrigada!" Foi aí que vi um verdadeiro sorriso pla primeira vez na senhora. No entanto ela nunca olhou directamente para mim... estranho.
Mas logo nesse momento volta a suposta filha condutora meio aflita. Ao ver que tinha tomado conta da mãe, ficou mais aliviada e agradeceu-me. A voz da mãe não se fez esperar:
"Aqui o menino tratou-me muito bem! fez companhia e até água ofereceu!"

Meu Deus! Onde é que eu me vou esconder?!?!? Sinto-me observado, avaliado e um pouco pateta! lol
Agradeci como é óbvio!
Mas o que ouvi depois deixou-me estarrecido...

"Obrigada pelo seu lindo sorriso! Posso não o conseguir ver, mas vou-me de certeza lembrar da sua voz."

Wow...
Ganhei o dia! Sinto-me outro! =D
Voltei para a farmácia e ao trabalho também. Com outro alento é certo, mas sempre a pensar no mistério da gratidão entre a humanidade, a pensar na mão que muita gente naquele corredor podia ter dado e que eu fui o sortudo de poder partilhar esta experiência única.

Obrigado eu!

BEM HAJAM! =D

1 comentário:

Mia Pierrèt disse...

obrigado eu... por todas as vezes que me deixaram ajudar e me senti melhor pessoa por isso