domingo, 22 de março de 2009

Caminhos Altos

6929875-lg
Passo a noite com os olhos fixos
No que me dizem com dor de estalo
Com sentimentos e razões de vários tipos
Calando as palavras que falo…

Sigo a linha do horizonte de horas altas
Em caminhos altos… Pensando no vazio das faltas
Que preenchem o caminho que percorro sem destino.
Faço e aconteço em tudo no que me defino.

Fecho os olhos por momentos…
Ouço apenas a companhia do asfalto,
Segredando-me luzes distantes neste palco
De solitários pensamentos…

Verdes, vermelhos, brancos, amarelos, de contraste sem fim…
Passam por mim a velocidade constante.
Não sou eu que me movo neste instante,
É sim a paisagem que passa por mim.

4 comentários:

Mona Lisa disse...

"Verdes, vermelhos, brancos, amarelos, de contraste sem fim…
Passam por mim a velocidade constante.
Não sou eu que me movo neste instante,
É sim a paisagem que passa por mim."

Sentes-te simplesmente parado ou sem poder para agir? Parar não é necessariamente mau. Às vezes só conseguimos avaliar a situação quando paramos, nem que seja por breves instantes. beijos

... Henrik ... disse...

Mona Lisa,

Parado não estou. Mas o sentimento de impotência por vezes atinge-me. Há cousa que simplesmente não posso interferir muito a meu favor, são elas que acontecem naturalmente ou estão dependente da vontade e liberdade das outras pessoas.

Mas o que escrevi tem muito mais a haver com o "agir/parar".

Sem dúvida, é preciso mandar parar de vez em quando a montanha russa para saber a que velocidade andamos...

Beijos especiais! * * * * *

Karlytus disse...

gostei bastante deste poema.. e combina tao bem com a imagem.. uma fotografia que ando pra tirar há imenso tempo.. mas ainda n encontrei o spot ideal.. ;)

abraço!

... Henrik ... disse...

Karlitus,

Pois, infelizmente a foto não é minha... e tb ando como tu! Ando a procurar também o spot ideal para fazer este tipo de fotografia...

Enfim...

A foto foi a que eu começei por procurar antes de transmitir as minhas ideias e pensamentos sobre uma viagem que fiz sozinho, como costumo fazer. Simplesmente foi a que mais se identificava com o que corria na minha cabeça/pensamento/emoção e veia artística. O Preto e branco, o dia a escurecer, e no entanto as luzes com um amarelo vibrante que me chamaram a atenção.

Obrigado por gostares.

Abraços! =)