segunda-feira, 13 de abril de 2009

Incenso e Velas

DSC04284 "Será demasiado tarde?"
Pergunto-me no meio
De divagações egoístas, eu creio...

"Que faço eu da minha parte?"
...Esqueço-me das opções
Do mais provável e centro-me em soluções
Que me parecem mais... estóicas

Sim, porque fazer de conta
Que nos passa ao lado
O que nos leva a triste fado,
Deixa sempre a nossa alma pronta
Para novo e imprevisto, emocional estado...

Julguei que tudo correria bem.
Julguei que continuaria sem
Ilusões estúpidas que o invisível
Me criou... Até me parecia credível!

Não me enganei a respeito
Da essência de quem gosto.
Não é disso que agora duvido...
Nunca pensei levar tanto a peito
As conversas do que é nosso
Sem a proximidade e seu crivo.
Foi antes a intensidade
Imprevista da qual não tinha certezas
Estúpida a minha idade, afinal
Nunca existiram Raposas "presas"...

É por isso que hoje estou assim
Com uma sensação de não haver um fim,
Nem um começo, nem uma continuação.
É um estado de pura indefinição.

O espírito pede-me meditação,
Com a racionalidade que sempre me salvou
Nos momentos de estranha emoção,
Não sei se em mim algo parou...
Não sei se algo poderá recomeçar

Deixo arder o incenso no ar,
Com a calmante luz de velas acesas
E um doce perfume para me recordar
Que, no fundo, ninguém tem defesas.

6 comentários:

Mona Lisa disse...

Lindo!!! beijos

... Henrik ... disse...

Lindo?

O assunto não tem nada de lindo.

É apenas um punhado de palavras encriptadas, que pode ter a sua conotação de beleza para algumas pessoas.

Assim parece mais fácil dizer o que vai cá dentro.

É engraçado como há visitas inefáveis que esperamos que nos visitem, mas que por outro pensamos que é melhor não... Definitivamente quero que me visites!

Beijos tb para ti... * * * * *

Rabisco disse...

E ninguém tem defesas...realmente.
E é isso qe torna este assunto tão especial. O apanhar-nos desprevenidos, o fazer mal, desprover-nos e, no entanto, não deixarmos de pensar nele.

... Henrik ... disse...

Rabisco,

Eu não diria melhor!

Abraços!

Mona Lisa disse...

Não é o assunto que é lindo...é a forma de expressão. Pode haver beleza até nas coisas tristes, desde que alguém consiga encontrá-la e expressá-la. Parece-me que fazes isso muito bem. Não é apenas um punhado de palavras encriptadas, é mais do que isso...e tu definitivamente devias parar de desvalorizar o que fazes, já reparei que é um padrão comportamental recorrente:P. Se alguém te faz um elogio, simplesmente sorrí e diz obrigado;)

Há visitas que esperas mas ao mesmo tempo pensas que é melhor não..? Em que ficamos?

beijos

... Henrik ... disse...

Mona Lisa,

"Pode haver beleza até nas coisas tristes, desde que alguém consiga encontrá-la e expressá-la"
Definitivamente, isso não é algo de que me orgulhe pois para escrever o que escrevi é porque o senti e porque sou fiel ao que sinto e consequentemente escrevo.

"e tu definitivamente devias parar de desvalorizar o que fazes, já reparei que é um padrão comportamental recorrente"
Bem, quando a isso eu sinto-me melhor desvalorizando o que faço, pois tenho noção de que quanto mais eu valorizo, mais sujeito estou a críticas de quem não aprecia o que escrevo, logo é uma defesa. A humildade nunca fez mal a ninguém.

Mas ok, eu sorrio e agradeço, não como se fosse um novo comportamento, mas porque é isso que sempre faço quando leio algum elogio.

Em que ficamos? You tell me... A esperança é a última a morrer. Quando nós encontramos algum tesouro, mesmo que tenhamos tropeçado e aleijado para nos apercebermos que lá estava, temos a tendência de o preservar mesmo que não tenhamos a chave do cofre.

Beijos... * * * * *